CURADORES CONVIDADOS

Marina Gazire é mestre em comunicação e semiótica pela PUC-SP, desde esse período vem se dedicando às pesquisas voltadas sobre arte e feminismo. Possui especialização em Imagens e Culturas Midiáticas pela Universidade Federal de Minas Gerais e em 2007 mudou-se para São Paulo onde viveu durante 6 anos. Atualmente é professora dos cursos de comunicação do Centro Universitario Una em Belo Horizonte.

Entre 2008 e 2010, trabalhou no extinto Instituto Sergio Motta_ uma OSCIP-Oorganização da sociedade civil e interesse público_ responsável durante a década de 2000 pelo fomento a Arte e Tecnologia no país, cuidando das redes sociais e assessoria de comunicação digital desta instituição. Em 2010 ingressou na Revista IstoÉ escrevendo semanalmente na sessão de Cultura sobre artes visuais. No ano seguinte auxiliou na fundação da Revista Select, idealizada pela jornalista e curadora Paula Alzugaray, publicação na qual trabalhou durante 3 anos. Foi parte do corpo docente da FAAP- Fundação Armando Álvares Penteado até o ano de 2013, lecionando no curso de produção cultural.recentemente foi uma das organizadoras do livro Mulheres Comunicam: Mediações, Sociedades e Feminismos, coletânea de artigos resultante de pesquisas realizadas pelas professoras do Instituto em torno da questão da mulher.

Pablo Gobira é curador, pesquisador e professor doutor do Programa de Pós-Graduação em Artes e da Escola Guignard da UEMG. Gestor de serviços da Rede Brasileira de Serviços de Promoção Digital do IBICT/MCTI. Coorganizador de diversos livros, tais como “Configurações do Pós-Digital” (2017), “Refletindo sobre a cultura” (2017), “Jogos e sociedade” (2012) e autor de dezenas de artigos no campo das artes. Coordena o grupo de pesquisa, desenvolvimento e inovação vinculado ao CNPq Laboratório de Poéticas Fronteiriças (http://labfront.tk), bem como é membro de outros grupos de pesquisa (CNPq) e de Associações das áreas de arte e tecnologia do país e do exterior. Realizou a curadoria de diversos eventos e exposições. É avaliador de periódicos científicos nas áreas de arte/cultura e membro de comitês editoriais de livros e revistas. Também coordena o Programa Institucional de Extensão de arte e cultura da UEMG.

Ivan LP é produtor cultural e curador com foco em novas tendências em arte, tecnologia e inovação. Fez parte da equipe de cultura do SESI-RJ e foi idealizador do festival pioneiro SESI Cultura Digital no Rio de Janeiro. Trabalha como consultor para instituições públicas e privadas. Foi coordenador de programação do festival holandês PICNIC, cuja primeira edição foi realizada no Parque Lage em 2016. É idealizador do selo musical colaborativo Fazedores de Som, que já lançou 13 coletâneas com artistas do Brasil e do exterior. Foi colunista semanal do jornal Hoje em Dia de Minas Gerais. Já teve trabalhos selecionados nos festivais FILE e FAD, peça de arte sonora exibida no programa RadioArte da Radio MEC e diversos lançamentos em selos nacionais e internacionais. Vive em Madri.

Tadeus Mucelli é graduado em Gestão de Organizações do Terceiro Setor pela Universidade do Estado de Minas Gerais por meio da Faculdade de Políticas Públicas (UEMG/FAPP).

Mestre em Artes pelo programa de pós-graduação stricto sensu da Universidade do Estado de Minas Gerais com temática sobre a “Visualização e Materialização das Artes Digitais” e Doutorando em Ciências da Informação pela UFMG.

Nos anos de 2014/2015 dedicou-se a outra pesquisa em arte intitulada; “Estabilidade versus Instabilidade do Digital” juntamente com Dr. Pablo Gobira (UEMG). A pesquisa foi ampliada pelo Fundo de Cultura da Fundação Municipal de Cultura de Belo Horizonte, resultando em diversas ações e produtos, como seminário, livro e artigos, além da participação em eventos nacionais e internacionais.

Mucelli, atua nas artes digitais desde 1998. É fundador e idealizador do Festival de Arte Digital – FAD em Belo Horizonte. Atua nas área de Arte e Tecnologia, principalmente no âmbito arte eletrônica, novas mídias e empreendimento tecnológico. Produtor musical e audiovisual autodidata, com trabalhos publicados no Brasil e no exterior.

Organizador das publicações; FAD catálogo e ensaios (2011), FAD retrospectiva com ensaios científicos (2012). Atua também na concepção, direção artística, consultoria e gestão de projetos de cultura que envolvam novas mídias. Como pesquisador, está desenvolvendo por meio da Universidade do Estado de Minas Gerais e Fundação Municipal de Cultura de Belo Horizonte o projeto sobre ‘Estabilidade versus Instabilidade da Arte Digital’e sua relação com os espaços expográficos e a curadoria.

Em 2012 foi contemplado pelo prêmio de incentivo a arte pela FUNARTE – Artes Visuais. Em 2014, foi contemplado pelo 1º Prêmio Brasil Criativo, por meio do Ministério da Cultura e da Secretaria de Economia Criativa – Expressões Culturais / Arte Digital pelo projeto da EAT – Escola Criativa em Arte e Tecnologia. (www.tadeusmucelli.net)

Gabriel Cevallos é graduado em Cinema e Produção Audiovisual pela PUCRS, e atua há mais de 10 anos na criação, curadoria e produção de eventos ligados a música, audiovisual e arte contemporânea. É idealizador e curador do Festival Kino Beat de música exploratória, audiovisual expandido e artes integradas, que chega em sua 5˚edição em 2018, realizado em parceria com o SESC-RS. Foi o idealizador e curador da Mostra Kino Beat de filmes relacionados a música (2009, 2010, 2011) e do Kino Beat ao Vivo, evento de performances audiovisuais multimídia (2011, 2012, 2013).  Foi curador da exposição coletiva de artes visuais The Dance Party na Galeria Ecarta (2016). É idealizador e curador da coletânea KBEATS – Música Eletrônica Meridional, dedicada a produção de música eletrônica e digital gaúcha.

Foi co-curador do evento paulista Green Sunset no Multipalco Theatro São Pedro (2013) em sua edição em Porto Alegre, e co-curador da Mostra ArteSônica no Oi Futuro em Belo Horizonte (2014). Desenvolveu e dirigiu a performance multimídia Castanha Remix (2015), com o ator João Carlos Castanha e o artista Tomaz Klotzel.

Desde 2004 atua como DJ profissional, com passagem por alguma das principais festas e cidades do Brasil. De 2008 à 20016 produziu a festa NEON, com mais de 100 edições em 9 anos, a festa foi reconhecida como umas das principais do cenário eletrônico alternativo no Brasil. Trabalha desde 2008 como parceiro do Instituto Goethe de cultura alemã no Rio Grande do Sul, trazendo artistas alemães para se apresentar no Estado. Também trabalha em colaboração com outras instituições internacionais para o desenvolvimento de seus projetos, tais como: Consulado Geral da França, Aliança Francesa, Embaixada da Suécia no Brasil, Pro Helvetia Suíça e Arts Council Canada.

COMISSÃO ORGANIZADORA INTEGRANTE DO CONSELHO CURATORIAL

Karla Danitza é graduada em Gestão de Organizações do Terceiro Setor pela Universidade do Estado de Minas Gerais por meio da Faculdade de Políticas Públicas (UEMG/FAPP).

Desde 2004 atua como produtora executiva para projetos ligados à arte e à cultura. Entre projetos de música, dança, teatro, literatura, artes visuais e cinema, realizou três edições para o FID – Fórum Internacional da Dança (MG), circulou pelo país, através do Palco Giratório/SESC Nacional, com a Mimulus Cia de Dança (MG) e realizou a Mostra dos 100 anos do cinema em Minas para o MIS – Museu da Imagem e do Som de Belo Horizonte (MG).

Em educação e inovação social atuou em projetos para a Oficina de Imagens (MG), em parceria com o UNICEF – “Selo UNICEF Município Aprovado”. Para a Tanto Design em projeto de educação ambiental, Meta 2014/SMED – Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável do Governo de Minas. Em Lisboa para o CDI-Portugal atuou nos projetos Apps For Good 2016/2017 e Jovem Empreendedor (Programa BIPZIP – Câmara de Lisboa).

Faz parte do Conselho Diretor da Sucesu Minas, entidade representativa do TI e Minas Gerais, sendo Diretora na VP de Sustentabilidade da instituição.

Alexandre Milagres é mestre em Comunicação Social pela UFMG, com dissertação “Psicose apropriado: deslocamentos e transformações de uma imagem do cinema pelo vídeo”. Coordenador Educativo do Festival de Arte Digital (FAD) desde 2008, atuando também como membro da Comissão Técnica do 1º Seminário de Artes Digitais: questões emergentes e estado da arte (2015).

Participa da cena audiovisual mineira desde 2002 com obras de videoarte e videoinstalações apresentadas em mostras e exposições nacionais (Mostra de Cinema de Tiradentes, Circuito Audiovisual Mineiro, Festival Cine Esquema Novo em Porto Alegre, Prog:ME – Festival de Mídia Eletrônica do Rio de Janeiro) e internacionais (VAD-Festival Internacional de Vídeo e Artes Digitais em Gironda-Espanha; Visual Music Marathon, em Boston-USA; Videoformes em Clermont Ferrand-França; e Video Art Center, Tokyo-Japão).

Integrou a equipe do Observatório da Diversidade Cultural (ODC) em 2012, chegando a presidir a instituição entre 2013 e 2015. Entre os anos de 2013 e 2015 integrou também a equipe de cultura do Sesc, planejando e produzindo a programação no Espaço da Diversidade Cultural do Sesc Venda Nova, sendo curador das exposições “Fotografia na Lata” com a artista Ana Viparo, “Muros Vivos: Mapa dos Graffitis” com uma seleção de mais de 30 fotografias dos grafites de Belo Horizonte, “Coleção Sesc Mestres de Minas – Dia do Artesão” com 77 obras de artesanato de importantes nomes como Dona Izabel, Noemisa Batista, GTO, Ana do Baú e Jacinta Francisca.

Professor e Coordenador do Núcleo de Convergência (NuC) e da UNA TV no Centro Universitário UNA, desenvolvendo produtos como o “Jornal Contramão”, o programa de entrevistas “Café Contramão”, as websérie “Urbânia” e “Expedições”, entre outras ações acadêmicas focadas no multimídia e na economia criativa.

Como pesquisador, concentra pesquisas no estudo dos produtos e relações mediadas pelo digital, nas relações de aproximação entre cinema e vídeo, nas potencialidades artísticas com a ampliação do acesso às tecnologias móveis e interativas.